Loading...

domingo, 3 de janeiro de 2010

Frêmito Desejo

Lindo o poema de minha amiga, resolvi publicá-lo, com certeza fala da realidade de muitas mulheres!




Do nada, sorrateiramente, eis que surge você.

À meia luz da lua,

Fez-me sentir nua

Sob o olhar em que você me despiu.




Tentei esquivar-me desse olhar cálido.

Mas fui traída por um frêmito desejo,

E o coração acelerou, a saliva secou...

Adentrei numa torrente de emoções.





Você se achegou com reticências.

E recorrendo à magia do momento,

Invadiu as minhas entranhas de mulher.





Vem... Eu já não sou me, porém nós.

Entremeando línguas, mãos, coxas...

Tremo o corpo todo, enquanto me possui.



N. Pimenta

Nenhum comentário:

Postar um comentário