Loading...

quarta-feira, 2 de junho de 2010

A HISTÓRIA DE UMA PEDRINHA

Um dia uma pedrinha saiu rolando pela estrada, curiosa para saber o que existia naquele mundo de que tanto ouvia falar. Sua mãe contava barbáries, seu pai somente concordava. Mal sabiam eles que tudo que falavam instigava cada vez mais a curiosidade da pedrinha.
A pedrinha resolveu sair de casa, nunca gostara de ser controlada, gostava de viver a vida a seu modo, de bem com a vida conquistando amizades e admiradores por onde passava. Sim admiradores, pois ela tinha uma beleza especial, não era como as pedrinhas comuns. Ela era sábia, tinha fome de conhecimento, esperta, tinha jogo de cintura e um olhar vibrante e penetrante.
Um dia ela se descobriu apaixonada, e quis morrer. Sim, morrer, pois sempre que as amiguinhas da escola vinham falar dos casos amorosos e chorar o pés na bunda e foras que levavam ela dizia que deviam ser fortes, e não deixar que tal sentimento tosco tomasse conta delas.
Foi neste momento que ela se sentiu tosca, não sentia os pés no chão, porém ao mesmo tempo isso era bom, deixava-a de bem com a vida, parecia que somente com esse sentimento a vida tinha sentido. O mais interessante é que o sentido era diferente do que havia planejado há anos. Hoje ela pensava que devia cuidar do seu amor, viver para formar uma família com ele, nossa como ela estava tendo este tipo de pensamento e sentimento. Era algo simplesmente espantoso.
A pedrinha só não sabia que esse caminho do “amor” era muito pedregoso, por ironia. Sofreu bastante, quase apagou a luz que a fazia ser tão admirada por onde chegava. Depois de muito sofrer, um dia a pedrinha falou com o “seu amor” e disse tudo que estava em seu coração, explicou a ele tudo que já havia acontecido na vida dela e de como ela era acostumada a encarar esse tipo de situações, dos conselhos que dava as amigas e que agora ela se punha no lugar das mesmas.
Mas foi sincera, como era de sua essência.
O “seu amor” ficou assustado, ao mesmo tempo que dizia que não a merecia, mas depois de algum tempo de avaliação de tudo ele realmente caiu na real e entendeu que após terem passado tudo o que passaram nada mais podia ser o desfecho dessa história , a não ser ficarem juntos e ele desfrutar de todo aquele sentimento que a pedrinha tinha para lhe oferecer.
A pedrinha tirou a conclusão de que como em tudo na sua vida, nada chegou de carro de gala e nem foi fácil o caminho. Tanto isso quanto os vários percalços para tentar que as coisas não acontecessem sempre a deram forças e mais gás para continuar a caminhada, árdua, mas sempre com um objetivo final realizado, alcançado! Tarefa cumprida e com êxito, mas com muito esforço!
Essa é a história da pedrinha, que por mais dura que fosse, demonstra que o sentimento pode amolecer as mais duras rochas!

segunda-feira, 31 de maio de 2010

os passos de uma vida....

Eu queria sinceramente saber quais os passos que se deve dar na vida. Hoje posso dar um passo que amanhã vai ser a minha ruina, nunca sei se estou no caminho, estou sempre a procura! Queria um mundo mais humano, e mais simples onde as aparências não fossem o mais importante! onde o ser fosse mais importante que o ter...que UTOPIA!
nossa quanto sonho! o que dizer dos sentimentos, muito alimentados por apenas um sorriso...sim um sorriso, ainda mais quando seguido de um : você é demais, te adoro!
Poxa, mas quando te ligam no meio da madrugada, e te dizem que estão te ligando somente pra dizer que te adoram...o que pode ser isso! Um desabafo? Um suspiro de que algo algum dia existiu? Uma confissão? o que será?
é bom, sem dúvida receber uma ligação deste tipo, mas o ruim é que depois disso não há retorno, e sim uma confusão de acontecimentos e de sentimentos!Química de pele, e de desejos, mas caminhos diversos! Que se há de fazer? Aceitar? Talvez sim, talvez não!
E quando há amor, o que se há de fazer?
Sim amor, aquela palavrinha de 4 palavras que diz ao mesmo tempo tanto e tão pouco!!! ah, que cofusão besta, quero sai dessa utopia, preciso sentir esse sangue que corre nas minhas veias! Pergunto: qual o próximo passo?
O passo de uma vida? de uma nova vida? de um novo ser? qual será?

Dois Anjos

Dois anjos viajantes pararam para passar a noite na casa de uma família rica. A família era rude e se recusou a deixar os anjos ficarem no quarto de hóspedes da mansão. Em vez disso eles foram mandados a dormir num pequeno e frio espaço no porão.
Quando estavam fazendo sua camas no chão duro, o anjo mais velho viu um buraco na parede e consertou-o. Quando o anjo mais novo viu perguntou o por que disso, o anjo mais velho respondeu: "As coisas não são sempre o que parecem ser".
Na próxima noite o par de anjos foi descansar na casa de pessoas muito pobres, mas muito hospitaleiras, um fazendeiro e sua esposa. Depois de dividir o pouco de comida que tinham, o fazendeiro e sua esposa acomodaram os anjos na sua cama onde poderiam ter uma boa noite de descanso.
Quando o sol ascendeu na manha seguinte os anjos encontraram o fazendeiro e sua esposa em lágrimas. Sua única vaca, que o leite tinha sido sua única fonte de renda familiar, deitava morta no campo. O anjo mais novo estava furioso e perguntou:
- "Como você pode deixar isto acontecer? O primeiro homem tinha tudo e você ajudou ele. A segunda família tem pouco mas estava disposta a dividir tudo, e você deixou a vaca morrer."
O anjo mais velho respondeu:
- "As coisas não são sempre o que parecem ser.". E continuou: - Quando nós ficamos no porão daquela mansão, eu vi que tinha ouro guardado naquele buraco na parede. Desde que o dono era totalmente obcecado por dinheiro e incapaz de dividir sua fortuna, eu tampei o buraco pra que ele não ache o ouro. Então noite passada quando estávamos a dormir na cama do fazendeiro, o anjo da morte veio por sua esposa. Eu dei a ele a vaca no lugar de sua esposa. As coisas não são sempre o que parece ser..."